Época de seca: principais pontos para planejar o confinamento

Postado em: 03/03/2022 - 4 min de leitura

Época de seca: principais pontos para planejar o confinamento
O confinamento para engorda e terminação de bovinos de corte é uma forma muito eficaz de aumentar a eficiência produtiva e o retorno da atividade, com ótimas chances de se obter excelentes resultados. Além disso, justamente por permitir o ganho de peso em áreas menores, esse é um bom sistema de produção para pequenas propriedades.
 
De acordo com a Embrapa Gado de Corte, as principais vantagens para a criação de bovinos em confinamento são: 
 
– necessidade de área pequena (12 m2/ animal);
– ganhos de peso altos;
– engorda rápida.
 
Caso o confinamento seja inserido num sistema completo de cria, recria e engorda, há ainda as seguintes vantagens: 
 
– liberação de áreas de pastagens no período seco para alimentar outros animais;
– antecipação da receita pela venda dos animais terminados até 6 meses antes;
– aumento da produção de bovinos na fazenda.
 
As desvantagens estão ligadas ao alto risco do investimento e do custeio da atividade, pois requer maiores conhecimentos técnicos, mais mão de obra, equipamentos, instalações e alimentos mais caros. 
 
Qual animal confinar?
 
Um primeiro ponto a se pensar é: quais animais serão confinados: machos inteiros, machos castrados ou fêmeas?
 
O fato é que cada um terá uma resposta, dependendo do tipo de dieta e de manejo realizado.  Deve-se ter em mente que, ao passar a puberdade, a tendência do animal é ganhar peso na forma de gordura, ou seja, há uma piora na eficiência em ganhar peso. Assim, a idade ideal para colocar o animal no confinamento e vendê-lo, pensando na velocidade e eficiência de ganho de peso, seria de 24 a 30 meses. 
 
De forma geral, os animais jovens têm maior eficiência alimentar, conseguindo ganhar mais peso por dia, porque essa deposição de peso vem através de massa muscular. Já os animais mais velhos tendem a ser menos eficientes, pois depositam mais gordura e o gasto energético para isso é maior do que o gasto energético para depositar musculatura. Sendo assim, o retorno será melhor com o confinamento de animais mais jovens.
 
Sobre a categoria animal, existem frigoríficos que remuneram melhor o macho castrado em relação ao macho inteiro. É preciso, portanto, fazer o cálculo para ver se o ganho de peso que deixou de ocorrer devido à castração, já que os animais inteiros são mais eficientes para ganhar peso, compensa o bônus pago pelo frigorífico.
 
Já as fêmeas, em linhas gerais, pesam menos que os machos castrados e inteiros. Assim, o sexo do animal influencia o ponto de abate (peso adequado para abater associado ao acabamento da carcaça). Assim, a fêmea atinge o ponto de abate primeiro, depois o macho castrado, por fim, o macho inteiro, só que a fêmea vai pesar menos.
 
Sendo assim, é possível confinar todas as categorias, desde que se esteja ciente do que esperar de cada uma delas. 

=> Quer aprender mais sobre esse tema? Acesse o conteúdo completo do curso Uso de suplementos lipídicos para vacas leiteiras. O curso pode ser adquirido individualmente ou você pode optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 240!) por um preço único. Clique aqui para assinar.
 
Quando confinar os animais?
 
Qual a melhor época para se comprar animais de reposição no confinamento e vender os animais prontos para o abate?
 
É preciso usar como referência a formação histórica do preço da arroba. Usemos como referência o que acontece nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil pelo fato de serem pólos de produção de carne no País. Nessas regiões, a época das águas vai de outubro até abril, quando há aumento da temperatura e da pluviosidade, levando a uma melhora na qualidade das pastagens. Como 85% do gado brasileiro é criado a pasto, isso vai exercer uma forte influência no preço da arroba.
 
Sendo assim, historicamente a partir de maio há uma tendência muito forte de queda no preço da arroba, pois há perspectiva de perda de peso dos animais por causa da seca. A partir de maio, então, ocorre uma pressão vendedora de boi gordo, aumentando a oferta, com a demanda se mantendo estável, levando à queda do preço. 
 
Assim, essa seria a época ideal para pensar na compra de animais de reposição, seja boi magro ou bezerro. Portanto, historicamente, os três primeiros meses do ano são os melhores para a compra de bezerros. 
 
Já quando chega o mês de outubro, há uma elevação da temperatura, os pastos tendem a melhorar, mas essa é uma época de saída do período da seca. Assim, não há grande oferta de boi gordo, pois os animais que permaneceram no campo tiveram redução de peso. Dessa forma, há uma diminuição da oferta de boi gordo a partir de outubro e novembro, enquanto a demanda tende até a subir, por causa das festas de final de ano. Nesse período, há uma elevação do preço da arroba, tornando esse o momento ideal para venda de boi gordo. 
 
Concluindo, o confinamento deve ser feito na época da seca por dois motivos: 
 
1) Financeiro: é possível ofertar esse boi gordo em uma época em que há menor oferta no mercado, conseguindo um melhor preço da arroba.
 
2) Manejo facilitado: é muito mais fácil manejar os animais confinados na época da seca se eles estão adensados, pois não tem chuva, evita lama e os problemas decorrentes disso.
 
O confinamento deve, então, ser pensado a partir de julho para ofertar esses animais no início das águas em uma época em que há menor oferta no mercado e maior preço da arroba.

Mais informações: 
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

Neste curso, o médico veterinário e professor de produção animal da PUC Minas, Domingos Marcelo Pesce, explica o passo a passo para quem quer confinar bovinos de corte em pequenas propriedades

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Quer ter acesso a todos os cursos da plataforma?