Qual protocolo de TETF utilizar para vacas e novilhas?

Postado em: 14/08/2020 - 2 min de leitura

Qual protocolo de TETF utilizar para vacas e novilhas?
A Fazenda Santa Luzia, em Passos/MG, utiliza em 100% a transferência de embriões em tempo fixo (TETF) como ferramenta reprodutiva, ou seja, todas as prenhezes do rebanho são oriundas de embriões produzidos in vitro.

Uma dúvida comum de produtores e técnicos é: quais os protocolos de TETF que devem ser utilizados para se obter resultados cada vez mais satisfatórios?

Há protocolos diferentes para vacas Girolando e para vacas Holandesas. Abaixo, confira quais são os protocolos utilizados para cada tipo de animal na Fazenda Santa Luzia.

Girolando



A transferência de embrião é feita nas vacas que ovularem, após a avaliação da presença ou não do corpo lúteo. Em caso positivo, a vaca recebe a transferência de embrião.

A fazenda opta, primeiramente, por utilizar protocolos à base de estrógenos, que apresentam maior proporção de vacas em estro. Ter mais vacas apresentando cio é sinônimo de melhor resultado em protocolos de sincronização. Observe abaixo os dados de um estudo recente:



Um ponto importante no desenvolvimento desses protocolos é que a Fazenda Santa Luzia optou por indicar o uso de duas doses de prostaglandina. Então, uma dose é feita no dia 7 e outra no dia 9, que seria o dia da retirada do implante.

O que se observou nesse trabalho foi que, em novilhas, aumentou a taxa de prenhez por embrião transferido, que foi de 50% para 60%, e em vacas, de 49% para 53%. É interessante que, em vacas Girolando, a primeira dose, no dia 7, tem que ser cheia, ou seja, de 25 mg, e no dia 9 deve-se reduzir a dose pela metade, para 12,5 mg. O uso de duas doses de 25 mg foi testado e não melhorou a fertilidade.



Outro ponto importante em protocolos de sincronização não é só a taxa de prenhez por embrião transferido, mas também a taxa de ovulação, ou seja, o quanto as vacas estão ovulando no protocolo, porque só deve-se transferir embrião na vaca que ovulou.

=> Para saber mais, acesse o conteúdo completo do curso Viabilizando a intensificação do uso da transferência de embrião em gado leiteiro. O curso pode ser adquirido individualmente ou você pode optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 190!) por um preço único. Aproveite que este curso está em promoção!

Holandesas

Observe abaixo três protocolos utilizados:


O que se observou foi que, em relação ao grupo controle, utilizar duas doses de prostaglandina melhorou a ovulação das vacas, a sincronização do protocolo, em torno de 10%. Em relação à fertilidade, não houve diferença entre os tratamentos.

Conclusão: fazendo duas doses de prostaglandina, consegue-se melhorar a sincronização do protocolo, ou seja, transferir mais embriões por protocolo, o que já maximiza o resultado. Então, a indicação é utilizar protocolo à base de estrógeno com duas doses de prostaglandina.




Em novilhas, a indicação é a seguinte:



Confira abaixo os dados comparando a utilização ou não de GnRH na transferência de embrião:



Analizando estes dados, observa-se uma perda de gestação 5% menor nas vacas que recebem o GnRH na transferência de embrião.

A fazenda tem obtido excelentes resultados com a utilização da técnica. 

Mais informações
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
Whatsapp (19) 99817- 4082

Conheça a maior plataforma do agronegócio, acesse nossos cursos gratuitos!