Benefícios do bom desenvolvimento ruminal em bezerros leiteiros

Postado em: 08/11/2021 - 7 min de leitura

Benefícios do bom desenvolvimento ruminal em bezerros leiteiros
Um rúmen funcionando corretamente incorpora vários fatores, incluindo estabelecimento microbiano e fermentação. Sem a cooperação de tudo isso, o potencial da função ruminal é diminuído e o desenvolvimento adequado será prejudicado.
 
Vários estudos analisaram os benefícios de estabelecer um bom desenvolvimento ruminal e os ingredientes da ração que podem ter um efeito positivo no desempenho do crescimento e na fermentação ruminal.
 
Como os membros jovens de outras espécies, ao nascer, os bezerros leiteiros têm sistemas digestivos que não estão totalmente desenvolvidos e, no bezerro, isso inclui o complexo rúmen. Durante o período pós-desmame, o suporte para um bom desenvolvimento ruminal é crítico porque a maturação rápida desse órgão resulta em um consumo e crescimento eficiente de ração.
 
No entanto, isso não é tudo. Como Rebecca Hiltz (assistente de pesquisa de pós-graduação) e Anne Laarman (professora assistente, Dairy Nutrition and Physiology) da Universidade de Alberta notaram, como alimentamos e tratamos nossos bezerros durante os primeiros 2 meses de vida afeta o desempenho da ordenha nas primeiras lactações. Especificamente, por exemplo, "cada aumento de 1 MCal na ingestão [calórica] até as 8 semanas de idade renderá 1,8 kg extra de leite e 0,09 kg de proteína e gordura na primeira lactação." Além disso, o professor de nutrição leiteira da Universidade Estadual da Pensilvânia, Jud Heinrichs, afirmou recentemente que o desenvolvimento deficiente do rúmen normalmente custa um mês para o crescimento do bezerro após o desmame.
 
De acordo com Rasoul Kowsar, professor assistente de Ciências Animais na Isfahan University of Technology no Irã, o melhor método de desmame é gradual, onde cerca de 10 a 14 dias antes do desmame completo, a ingestão de leite é reduzida aos poucos. No entanto, por razões como custos de mão-de-obra, o desmame em muitas fazendas em todo o mundo é realizado de forma repentina, e não incremental. Várias estratégias de alimentação e novos ingredientes, portanto, continuam a ser sendo investigados quanto aos benefícios para a saúde intestinal de bezerros recém-desmamados. Os componentes da dieta podem afetar positivamente o próprio rúmen e sua composição bacteriana.
 
Ração fermentada
 
Kowsar, com colegas em sua universidade e no Centro de Pesquisa e Educação de Recursos Naturais e Agrícolas de Isfahan, no Irã, publicou um estudo em 2020 na revista Nature, sobre os efeitos da alimentação com farelo de soja fermentada (FSBM). Eles observam que a fermentação é um processo eficiente e econômico que melhora a qualidade da ração. Durante a fermentação, as proteínas em farelo de soja (SBM) "são extensivamente hidrolisadas em aminoácidos e peptídeos de baixo peso molecular devido à atividade enzimática microbiana e alterações bioquímicas".
 
Trabalhos anteriores desta equipe de pesquisa mostraram que a alimentação com FSBM melhora o desempenho dos bezerros, aumenta a ingestão de ração inicial e reduz o estresse do desmame, mitigando os efeitos opostos que podem ocorrer normalmente durante o período imediatamente pós-desmame. No entanto, neste momento, Kowsar explica que "geralmente, produtos fermentados não são usados ??na nutrição de bezerros devido ao alto preço ... [Além disso], a produção de FSBM precisa de tecnologia complicada e a fazenda de leite não poderia produzi-lo e precisaria comprá-lo.”
 
=> Se quiser aprender mais sobre este tema, acesse o curso Princípios do aleitamento de bezerras. O curso pode ser adquirido individualmente ou você pode optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 240!) por um preço único. Clique aqui para assinar.
 
Detalhes do estudo
 
Um total de 3 grupos designados aleatoriamente de bezerros da raça Holandesa foram alimentados com dietas com diferentes níveis de SBM e FSBM. A dieta controle tinha 27% de SBM e nenhum FSBM, a segunda 18% de SBM e 9% de FSBM, e a terceira, porcentagens iguais (13,5%) de SBM e FSBM.
 
“Com base nas presentes descobertas e em nossa pesquisa anterior, pode-se concluir que a alimentação com FSBM melhora o desempenho do crescimento e a ingestão inicial de bezerros holandeses, alterando a fermentação e a abundância de algumas bactérias no rúmen”, afirmam os cientistas em seu trabalho. Especificamente, eles descobriram que a bactéria Prevotella ruminicola no rúmen (um tipo de bactéria que quebra a proteína e o amido) respondeu positivamente à presença de FSBM. Esta bactéria proteolítica consome efetivamente NH3 – N, peptídeos e, em menor grau, aminoácidos para produzir proteínas microbianas e energia celular.
 
No entanto, outras bactérias ruminais que degradam a celulose, como Ruminococcus albus e Butyrivibrio fibrisolvens, reagiram negativamente ao FSBM.
 
Em termos de quanto o efeito positivo do FSBM no rúmen tem sobre a atividade da P. ruminicola, deve-se comparar seu efeito negativo sobre as bactérias celulolíticas. Kowsar primeiro observa que a ração inicial contém muito amido e proteína. Portanto, embora esteja claro que um aumento de P. ruminicola “poderia melhorar o desenvolvimento ruminal e o ganho médio diário de bezerros”, diz Kowsar, a pequena quantidade de fibra na ração inicial significa que “a diminuição de bactérias como R. albus provavelmente não prejudica o desempenho do bezerro.”
 
Mais resultados
 
A fermentação do farelo de soja também aumenta o teor de proteína total deste ingrediente da ração. Semelhante ao que foi encontrado em estudos anteriores, esses cientistas descobriram que a fermentação aumentou o teor de proteína de 43,3 para 48,2% (5%) e também modificou as frações de proteína.
 
A equipe fermentou o SBM durante 48 horas e Kowsar diz ter aproveitado esse período de tempo “porque teve os melhores resultados com um custo lógico. Um tempo maior pode produzir maiores quantidades de peptídeos [proteínas], mas tem mais custo e aumenta o preço do FSBM. ”
 
A equipe escolheu fermentar SBM com Bacillus subtilis, uma espécie que demonstrou ter efeitos probióticos.
 
Quando questionado sobre quanto do efeito positivo geral da alimentação com FSBM é devido à presença dessa própria bactéria - separada dos efeitos positivos do FSBM em bactérias proteolíticas no rúmen - Kowsar diz que esta é uma boa pergunta. “Acho que é impossível separar o efeito de Bacillus subtilis e SBM fermentado”, afirma ele, acrescentando que “outros pesquisadores usaram outros probióticos, como aspergillus e encontraram resultados semelhantes, e isso mostra que FSBM tem efeitos úteis no desempenho animal, independentemente do tipo de bactéria probiótica usada no processo de fermentação. ”
 
Os cientistas pedem mais estudos envolvendo uma ampla variedade de bactérias e fases líquidas e sólidas do conteúdo ruminal para fornecer uma compreensão mais profunda dos efeitos do FSBM no ecossistema ruminal.
 
Efeito do feno de aveia no rúmen de bezerros leiteiros
 
O feno de aveia picado é outro ingrediente da ração que está sendo estudado para determinar se tem efeitos positivos no desempenho de crescimento, fermentação ruminal de bezerros leiteiros durante os períodos pré-desmame e pós-desmame.
 
Um artigo sobre isso foi publicado recentemente por cientistas da Universidade de Ciências da Vida de Poznan e do Instituto Kielanowski de Fisiologia e Nutrição Animal (Academia Polonesa de Ciências) na Polônia.
 
Quarenta bezerros Holstein-Friesian foram distribuídos aleatoriamente em 4 grupos de tratamento. Os grupos receberam 1 de 4 dietas. A dieta de controle continha ração inicial sem feno de aveia (FA), starter com base de matéria seca de 10% do feno de aveia, starter com base de matéria seca 10% do feno de aveia mais feno de aveia também fornecendo livre consumo em baldes, e ração starter e feno de aveia de livre consumo em baldes. Os bezerros foram desmamados no dia 56 e o estudo continuou até o dia 84.
 
Nenhum efeito de tratamento foi encontrado para starter, amido, ingestão de matéria seca total, ganho médio diário, eficiência alimentar, mudança na altura do quadril, pH do fluido ruminal e concentrações de propionato ruminal e NH3-N, concentrações de nitrogênio ureico e ácidos graxos não esterificados no sangue.
 
Houve diferenças entre os tratamentos, no entanto, em termos de ácidos graxos voláteis totais ruminais e quantidades e proporções de outros bioquímicos ruminais típicos. Essas diferenças foram maiores nas dietas 2 e 3.
 
Esses cientistas afirmam que seus resultados “indicam que a ração starter contendo feno de aveia picado melhora os parâmetros de fermentação ruminal, o que pode permitir uma transição bem-sucedida de um estado pré-ruminante para um ruminante maduro”. Além disso, eles observam que fornecer feno de aveia picado com ração inicial peletizada parece ser um método melhor para fazer isso em comparação com a suplementação de livre consumo.
 
* Baseado no artigo Benefits of good rumen development in dairy calves, de Treena Hein.
 
Mais informações: 
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

Nesse curso, a professora do Departamento de Zootecnia da Esalq/USP, Carla M. M. Bittar, ensina tudo o que você precisa saber sobre o aleitamento de bezerros.

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Quer ter acesso a todos os cursos da plataforma?