Fique atento à competição entre as vacas leiteiras!

Postado em: 18/01/2021 - 4 min de leitura

Ao se projetar ou manejar as instalações de vacas leiteiras, deve-se ter em mente a questão da competição dos animais por recursos essenciais. As vacas que precisam competir por recursos como alimento, água e espaço de descanso estão sob mais estresse e podem sofrer perdas de produção e problemas de saúde devido a essa competição.
 
Pesquisas mostram que vacas alimentadas com TMR normalmente consomem sua matéria seca diariamente em 3 a 5 horas por dia, distribuído entre 7 a 12 refeições por dia. Um aumento na ingestão de matéria seca pode ser alcançado com refeições mais frequentes durante um tempo total mais longo no cocho. No entanto, quando as vacas precisam competir no cocho, a mesma pesquisa mostra que elas consomem menos refeições maiores com um tempo de alimentação reduzido. Ou seja, o oposto do que você quer que as vacas façam para maximizar a ingestão de matéria seca.
 
O que pode causar competição no cocho? 
 
A primeira coisa é fácil de observar, que é o espaço de alimentação. Embora por muito tempo a regra para espaço de alimentação adequado tenha sido de 60 centímetros por vaca, se observarmos as vacas leiteiras Holandesas modernas, podemos ver facilmente que elas são alguns centímetros mais largas do que isso. Para que todas as vacas em um grupo comam confortavelmente ao mesmo tempo, o espaço de alimentação deve ser mais próximo de 70 a 75 centímetros por vaca.
 
Porém, o espaço de alimentação não é o único fator que entra em jogo aqui. É uma combinação de espaço de alimentação, design da área de alimentação, disponibilidade e acesso ao alimento, juntamente com o manejo alimentar. 
 
A superfície do cocho deve ser fácil de limpar e manter limpa. A silagem é ácida e causa erosão nas superfícies dos cochos de concreto. Superfícies como azulejo, aço inoxidável e até mesmo alguns aditivos de concreto são resistentes ao ácido e manterão a superfície do cocho lisa após anos de uso. 
 
Outro fator importante é a barreira do cocho, que pode consistir de poste, trilho ou travamento de cabeça. Essa barreira deve permitir que as vacas tenham acesso fácil à alimentação na frente delas. As vacas estão dispostas a exercer 225 quilos de pressão contra a barreira para alcançar a ração, enquanto apenas 100 quilos de pressão podem causar danos aos tecidos do pescoço e ombros. Se você tiver um projeto de poste e trilho, o trilho precisa ser alto e avançado o suficiente para que os animais alcancem facilmente sob ele para se alimentar. Essa altura é geralmente definida em 120 centímetros acima das patas dianteiras das vacas e 10 a 20 centímetros à frente do meio-fio de alimentação. Os headlocks devem ser inclinados para frente de 15 a 20 graus para permitir melhor alcance e conforto. 
 
A alimentação deve estar disponível para as vacas e as vacas devem estar disponíveis para a alimentação pelo menos 21 horas por dia. Fornecer ração fresca várias vezes por dia também irá motivar a atividade alimentar. É importante manter os alimentos ao alcance da vaca, empurrando o conteúdo quando for necessário.

=> Aprenda mais no curso Confinamento em free stall: como projetar e executar um sistema adequado. Você pode adquirir cursos individualmente ou optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 200!) por um preço único.Clique aqui para saber como assinar.
 
Lembre-se de que um dos ingredientes alimentares mais importantes para vacas leiteiras é a água. A água representa 87% do leite e a água potável satisfaz 80 a 90% das necessidades totais de água de uma vaca. Os bebedouros devem ter uma grande área de superfície aberta para beber, apresentar água de 70 a 80 centímetros acima do chão, ter uma profundidade mínima de 7,5 centímetros, ter uma capacidade de 110 a 190 litros, e se duas ou mais vacas podem beber ao mesmo tempo, precisa de uma taxa mínima de enchimento de 38 litros por minuto. 
 
É preciso fornecer um perímetro acessível de bebedouro de 7,5 a dezoito centímetros por vaca do grupo, com pelo menos duas estações de água por grupo, e colocado a uma distância máxima de 18 a 24 metros. Também é importante posicionar os bebedouros nos locais onde as vacas ficam mais tempo dentro do galpão, como por exemplo, a parte central.
 
Se o projeto e ou seu manejo de instalações de produção de leite está limitando o acesso da vaca a recursos como alimento e água, você está inevitavelmente limitando a produção. Embora a competição possa ser um ótima em um jogo de futebol, não é ótima no manejo de fazendas leiteiras.
 
* Baseado no artigo Competition in the Dairy Barn, de John Tyson.
 
Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082

Aprenda como projetar corretamente um free stall nesse curso, onde o Médico Veterinário Marco Antônio Pádua Carvalho, especialista em gestão de fazendas leiteiras e com vasta experiência no desenvolvimento de grandes projetos para produção leiteira, explica todos os pontos a serem considerados num projeto para construção de free stall.

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Invista no futuro do seu negócio com o EducaPoint