BLOG

Postado em: 11/05/2020

Fatores que influenciam as chances de cura de mastite por Staphylococcus aureus - Parte 1/2

O Staphylococcus aureus é uma importante causa bacteriana de mastite contagiosa em fazendas leiteiras em todo o mundo. Mais importante, é frequentemente a raiz das contagens crônicas de células somáticas altas, mastite clínica recorrente e lesões teciduais  das glândulas mamárias. Por ser contagioso e ser muito difícil de curar, o controle depende fortemente da prevenção de novas infecções
 
Para controlar a propagação contagiosa de Staphylococcus aureus, é essencial o uso de procedimentos adequados de ordenha, especialmente o uso correto de desinfecção de tetos. Também é de grande importância identificar a bactéria de vacas infectadas por cultura de leite, segregar e ordenhar essas vacas por último, se possível. Também devem ser tomadas decisões para tratar o caso individual, abater a vaca ou parar de ordenhar o leite no quarto infectado. 
 
Infelizmente, as pesquisas indicam que a taxa de cura após o tratamento varia de 4-92%, com sucesso global médio de 20 a 30%. Na tentativa de explicar essa ampla variação nas taxas de cura, uma revisão foi conduzida por Barkema et al. (2006) de vários estudos de aproximadamente 20 anos (1985-2005) e verificou-se que certos fatores presentes na vaca, nas bactérias e na escolha do regime de tratamento têm um forte impacto na probabilidade de cura, mas raramente são considerados ao tomar decisões de tratamento.
 
A consciência desses fatores fornece ao produtor mais ferramentas para usar em seu processo de tomada de decisão, a fim de tratar apenas aquelas vacas com maior chance de cura bem-sucedida e retornar à produção normal de leite. Por outro lado, um produtor pode decidir quem deve abater ou pelo menos quem colocar em uma "lista de vacas que não devem dar cria", porque sua chance de recuperação é muito baixa. 

=> Aproveite para aprender muito mais sobre o tema no curso Cultura microbiológica na fazenda: como usá-la para o controle de mastite. Você pode adquirir o curso individualmente ou assinar a plataforma EducaPoint, obtendo acesso a cerca de 180 cursos por um preço único! Saiba como assinar
 
Fatores relacionados à vaca
 
Os fatores relacionados à vaca identificados que afetam negativamente a probabilidade de cura incluem:
 
1. Aumento da idade da vaca - O maior número de vezes que ela pariu está associado a uma menor chance de cura. Vacas mais velhas têm maior probabilidade de serem infectadas e desenvolver mastite clínica por Staphylococcus aureus que companheiras de rebanho mais jovens. Possivelmente, as taxas de cura são mais baixas devido a uma glândula mamária muito maior e, portanto, a um volume muito maior de tecido para um antibiótico penetrar e limpar a infecção.
 
2. Contagem alta de células somáticas - A taxa de cura é muito menor se a contagem células somáticas for alta (acima de 1.000.000 de células/ml) no momento em que o tratamento for iniciado.
 
3. Longa duração da infecção - Quanto mais o processo de mastite progride antes do tratamento, menor a chance de cura. Um estudo indicou uma taxa de cura de 70% em quartos tratados dentro de 2 semanas após a infecção versus uma taxa de cura de 35% quando tratada após 4 semanas de duração.
 
4. Contagem alta de colônias bacterianas - A contagem mais alta de unidades formadoras de colônias no leite foi associada a uma chance menor de cura. Essa contagem é frequentemente relatada nos resultados da cultura do leite.
 
5. Mais de um quarto com infecção - Quanto maior o número de quartos infectados, menor a chance de curar a vaca. Se todos os quartos infectados não forem curados, há uma boa chance de a infecção se espalhar para quartos não infectados ou re-infectados na mesma vaca.
 
6. Infecção dos quartos traseiros - os quartos traseiros têm menos chances de serem curados do que os quartos da frente. Isso pode ser uma consequência da estrutura maior da glândula mamária e da dificuldade de penetrar em todas as áreas com níveis sanguíneos suficientes de antibiótico.
 
Um exemplo de quão útil é essa informação foi ilustrado por um estudo publicado em 1997 por Sol et al. em que foi feita uma previsão matemática se a vaca seria curada com tratamento com base em seus fatores de risco. A probabilidade de cura de uma vaca mais velha tratada aos 150 dias em lactação, infectada em um quarto traseiro com um contagem de células somáticas de 2.000.000 de células/ml foi calculada em aproximadamente 1%. No entanto, uma novilha infectada em um quarto da frente aos 220 dias em lactação com uma contagem de células somáticas de 500.000 células/ml teve 61% de probabilidade de cura.

Na Parte 2 desse artigo, serão discutidos os farores relacionados à Staphylococcus aureus que influenciam no sucesso do tratamento da mastite.

* Baseado no artigo Staphylococcus aureus Mastitis-Cow Factors that Influence the Chance of Cure, de Michelle Arnold, Universidade de Kentucky.

Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

 
 

Ficou com dúvidas, gostaria de sugerir um tema ou saber mais sobre o EducaPoint? Envie uma mensagem para nós:

 
ASSINE TODOS OS CURSOS OU COMPRE UM CURSO DE SUA PREFERÊNCIA
Rede Agripoint

Copyright © 2020 AgriPoint - Todos os direitos reservados

AgriPoint Serviços de Informação para o Agronegócio
CNPJ 08.885.666/0001-86

Rua Tiradentes, 848 - 12º Andar - Centro - Piracicaba - SP

design salvego.com - desenvolvimento d-nex

Uma empresa associada da abed
ENCONTRE-NOS: