Desgaste precoce dos dentes em gado leiteiro: o que fazer?

Postado em: 31/01/2022 - 5 min de leitura

Desgaste precoce dos dentes em gado leiteiro: o que fazer?
O desgaste dentário precoce pode ocorrer sob certas condições. Portanto, a compreensão dos processos de desgaste que afetam o desempenho animal potencialmente levará à prevenção de futuros problemas dentários nos animais.
 
Os dentes do gado são compostos principalmente por 2 materiais diferentes, nomeadamente o esmalte e a dentina, sendo que ambos servem como meio de mastigação de matéria alimentar, com o auxílio da almofada muscular na parte superior da boca. O esmalte constitui a camada externa dura do dente que é visível fora da gengiva. O esmalte também é considerado o mineral mais duro. A dentina é um material duro, amarelo claro, que cria uma camada porosa de tecido diretamente sob o esmalte e o cemento. A dentina é o material que constitui a maior parte do dente; é composto de cristais de fosfato e cálcio, é mais macio que o esmalte, mas ainda mais duro que o osso.
 
Os dentes irrompem sequencialmente em intervalos diferentes desde o nascimento e são, portanto, usados ??para dentição até uma certa idade e, então, são naturalmente desgastados até o ponto em que as vacas são descartadas devido à utilização reduzida de ração e produtividade animal com a idade avançada. O desgaste dentário precoce pode, entretanto, ocorrer sob certas condições. Portanto, a compreensão dos processos de desgaste que afetam o desempenho animal potencialmente levará à prevenção de futuros problemas dentários nos animais.
 
Fatores relacionados às gramíneas 
 
Gramíneas e outras plantas de pasto frequentemente contêm várias quantidades de fitólitos ou pedras de plantas (partículas minerais minúsculas formadas dentro dos tecidos vegetais) que corroem a dentina nos dentes conforme o animal mastiga o material vegetal. Este efeito é mais pronunciado nos estágios finais da maturidade da planta, onde o nível dessas partículas minerais aumenta para 15% em comparação com a faixa normal de 3% nos estágios iniciais de maturidade da planta.
 
Fatores relacionados ao animal
 
Existem evidências de que problemas digestivos e outros problemas de saúde podem ser fatores de risco para alguns tipos de problemas dentários em bovinos. Embora a laminite em si não seja conhecida por causar problemas dentários, parece haver alguma sobreposição entre os animais com laminite e aqueles mais propensos ao desgaste dentário excessivo. A doença periodontal também pode contribuir em até 5 vezes para outras condições dentais. Se uma vaca não estiver pastando ou mastigando o suficiente durante os horários de alimentação, isso pode resultar em crescimento de bactérias e outras coisas desagradáveis ??que podem contribuir para a doença periodontal. O desgaste dentário também pode ser mediado geneticamente e precauções especiais serão necessárias neste caso para evitar a propagação do problema de uma geração para outra.

=> Quer saber mais sobre sanidade em bovinos leiteiros? Acesso o curso completo Sanidade e monitoramento de vacas em transição. O curso pode ser adquirido individualmente ou você pode optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 240!) por um preço único. Clique aqui para assinar.
 
Efeitos no animal

Sinais clínicos
 
A seguir estão os sintomas clínicos mais comuns observados em vacas com problemas de desgaste dentário:
 
- Lesões dolorosas na boca;
- Molares irregulares e afiados causando lesões na língua e na bochecha;
- Diferentes movimentos laterais das mandíbulas;
- Irregularidades na queda dos dentes temporários, o que retarda a erupção dos dentes permanentes ou pode alterar sua direção;
- Posição e direção anormais dos dentes, causando lesão aos tecidos moles com os quais eles entram em contato;
- Tumor dentário envolvendo gengiva na borda dentária ou nos espaços interdentais;
- Moagem imperfeita de ração;
- Odor fétido na boca.
 
Ingestão de matéria seca
 
A eficiência da mastigação é crucial para os processos de digestão e subsequente ganho de energia entre os ruminantes. O desgaste dentário altera a topografia da superfície oclusal, causando uma perda gradual de funcionalidade. Isso sugere que mudanças direcionais nos processos digestivos podem ocorrer, uma vez que o aumento do tamanho das partículas provavelmente aumentará os tempos de retenção retículo-ruminal e reduzirá a ingestão de matéria seca. Além disso, problemas com os dentes estão frequentemente associados a dor ou desconforto, conforme indicado acima, o que resulta em falta de apetite, seleção na alimentação ou outros distúrbios.
 
Produção e composição do leite
 
Com a diminuição da ingestão de matéria seca, a produção de leite é reduzida. Também ocorre redução do tempo de ruminação nos casos de desgaste dentário, frequentemente associado à baixa produção de leite. Com a diminuição da atividade de mastigação e do tempo de ruminação, ocorre uma mudança na relação acetato: propionato que diminui de 2,0 para 1,3 quando uma dieta típica contendo 70% de volumoso e 30% de concentrado é fornecida à vaca leiteira. A razão para essa mudança na fermentação ruminal não é clara. Isso pode estar relacionado a uma mudança na população microbiana ruminal ou a uma mudança no metabolismo dos microrganismos existentes em direção à produção de menos acetato e mais propionato sob baixas condições de tamponamento ruminal. Também pode resultar do aumento da taxa de diluição do fluido ruminal devido ao aumento do fluxo de água no rúmen como uma tentativa de ajustar a osmolaridade ruminal. Em ambos os casos, há uma diminuição no percentual de gordura do leite, uma vez que o acetato é o principal precursor da síntese de gordura do leite
 
Medidas de controle

O atendimento odontológico das vacas deve ser sempre empregado e devidamente observado ao longo de todo o ciclo de produção. Pode ser feita referência aqui aos seguintes pontos:
 
- Aplicação de glicerina na cavidade oral;
- Irrigar a boca com solução de permanganato de potássio e/ou outros desinfetantes;
- Uso de antibióticos, com tipo e dosagem a serem decididos por veterinário especializado]
- Operações cirúrgicas, se necessário.
 
O atendimento odontológico é especialmente importante nos casos em que as vacas pastam em pastagens de maturação tardia ou em épocas de seca, onde grandes quantidades de fitólitos são formados nos tecidos da planta. O atendimento odontológico deve, neste caso, evitar muitos dos problemas de ingestão e produção associados ao desgaste dentário.
 
Nos casos em que o desgaste dentário resulta de distúrbios endócrinos, os animais infectados não devem ser usados ??para fins de reprodução, pois a condição é geralmente hereditária.
 
* Baseado no artigo Early tooth wear in dairy cattle, de Salah Hamed Esmail.
 
Mais informações: 
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

Neste curso são apresentados os fatores de risco para doenças metabólicas e infecciosas, assim como estratégias de manejo, hormonais e nutricionais para minimizá-los.

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Quer ter acesso a todos os cursos da plataforma?