Você sabe qual a influência da mastite na composição do leite?

Postado em: 08/03/2022 - 3 min de leitura

Você sabe qual a influência da mastite na composição do leite?
A mastite bovina tem sido descrita como a principal doença que causa prejuízos para a produção leiteira, resultando em redução da produção de leite, aumento dos custos de produção e redução da qualidade, sendo então definida como uma inflamação da glândula mamária em resposta à invasão bacteriana. A contagem de células somáticas (CCS) do leite é comumente usada como indicador da incidência de mastite subclínica em vacas leiteiras.
 
Como resultado da resposta inflamatória durante a mastite são observadas intensas mudanças nas concentrações tanto dos principais componentes (por ex.: proteína, gordura e lactose) quanto dos componentes encontrados em menores níveis no leite (por ex.: minerais e enzimas). Estas mudanças na composição do leite ocorrem devido à redução na secreção de componentes do leite que são sintetizados na glândula mamária, como a proteína, gordura e lactose. Adicionalmente, durante a mastite ocorre aumento da permeabilidade vascular resultando em aumento do influxo de componentes do sangue para dentro do leite.
 
Impacto da mastite sobre a proteína do leite
 
O efeito da mastite sobre a concentração total de proteína do leite é variável, podendo causar aumento do redução. Entretanto, devido ao aumento do influxo de proteína de origem do sangue (p. ex., imunoglobulinas e soroalbumina bovina) e a concomitante diminuição da síntese de proteína nas células epiteliais (α -caseína, β -caseína, α -lactoalbumina e β -lactoglobulina), o efeito geral é de manutenção de níveis de proteína total relativamente constante ou de mudanças muito pequenas.
 
Durante a mastite, a síntese de caseína é normalmente diminuída. Diversos relatos têm descrito que a caseína como porcentagem da proteína total (CN/PT) é reduzida à medida que ocorre aumento da CCS. Uma pesquisa que avaliou a composição do leite do tanque de diferentes fazendas leiteiras durante o período de dois anos e, desconsiderou as variações sazonais, a porcentagem de caseína/proteína total foi menor para o leite de vacas com mastite subclínica em comparação com leite normal.
 
A diminuição da caseína como porcentagem da proteína total do leite, à medida que ocorre aumento da CCS, é devida à redução da síntese e pela proteólise da caseína. A plasmina, a principal protease presente no leite responsável pela degradação da caseína, causa a sua proteólise dentro do úbere durante a mastite, mesmo antes da ordenha do leite.
 
A mastite também determina mudanças nas concentrações das várias frações de caseína presentes no leite com níveis aumentados de CCS. Quando a CCS do leite está aumentada, ocorre redução da concentração de α-caseína e β-caseína, e aumento na concentração de γ-caseína. Estas mudanças na composição das frações de caseína resultam em importantes mudanças sobre a qualidade do processamento do leite.
 
O aumento da CCS do leite também afeta a concentração de proteína do soro, resultando em aumento da concentração de proteínas do soro, soroalbumina bovina e imunoglobulinas. Estas alterações são causadas, principalmente, devido ao influxo aumentado de substâncias do sangue para dentro do leite, passando através das membranas. Como a β-lactoglobulina e α-lactoalbumina são sintetizadas na glândula mamária, a concentração destas proteínas encontra-se reduzida durante a mastite.

=> Gosta do conteúdo? Você também pode gostar do curso completo sobre mastite: Como controlar a mastite em 3 passos
 
Impacto da mastite sobre a gordura do leite
 
O efeito da mastite sobre a gordura do leite não foi estudado de maneira tão intensiva quanto para a proteína. Existe variação quanto ao efeito da mastite sobre a concentração total de gordura do leite, assim como ocorre no caso da proteína.

Desta forma, a concentração total de gordura do leite é normalmente reduzida no leite com alta CCS quando comparado com o leite normal, uma vez que a mastite interfere com a habilidade da glândula mamária de sintetizar a gordura. No entanto, de maneira inversa, outro estudos, avaliando leite de vacas individuais e utilizando leite de tanque, descreveram que a concentração total de gordura do leite aumentou no leite com alta CCS.
 
Impacto da mastite sobre a lactose
 
A inflamação da glândula mamária resulta em diminuição da síntese de lactose e, consequentemente, a concentração deste composto no leite é menor no leite de vacas com mastite em relação ao leite normal. A redução da concentração da lactose do leite com alta CCS é em parte devido às lesões nas células alveolares. No entanto, outros fatores como a passagem de lactose para o sangue também podem estar envolvidos. Um estudo demonstrou que quando a CCS do leite aumenta de 83.000 para 872.500 cels/ml, a concentração de lactose do leite diminui de 4,977% para 4,707%.

Mais informações: 
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

Fonte:

Efeito da mastite sobre a qualidade do leite e dos derivados lácteos - Parte 1 (https://www.milkpoint.com.br/colunas/marco-veiga-dos-santos/efeito-da-mastite-sobre-a-qualidade-do-leite-e-dos-derivados-lacteos-parte-1-16229n.aspx)
 
 

Neste curso, um dos maiores especialistas no assunto, o Prof. Dr. Marcos Veiga, ensina como diagnosticar a mastite clínica e subclínica, como caracterizá-la através de testes e cultura bacteriana, bem como prevenir sua ocorrência, com corretas práticas de manejo de ordenha e terapia de secagem. Confira!

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Quer ter acesso a todos os cursos da plataforma?