BLOG

Postado em: 16/07/2019

Você sabe qual o principal custo na sua produção?

O grande desafio do produtor de leite é ter eficiência econômica em sua propriedade. Eficiência pode ser analisada sob o ponto de vista econômico e técnico. O problema é que nem sempre uma propriedade tem eficiência técnica e econômica ao mesmo tempo. Em qualquer condição de mercado, o fator de maior impacto no custo de produção em sistemas intensivos de produção de leite é a alimentação, que representa de 40 a 60% do custo total e via de regra determina o sucesso ou fracasso da atividade.

Um trabalho foi conduzido na Universidade Federal do Paraná e teve como objetivo apresentar os principais índices econômicos e nutricionais de rebanhos leiteiros paranaenses, de alta produtividade, no período de 2007 a 2014, além de mensurar a associação entre produção e rentabilidade nessas fazendas.

Os dados do estudo vieram de 31 produtores associados à Capal - Cooperativa Agroindustrial Ltda., localizada no município de Arapoti/PR, no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2014. Durante esse período, foram feitas 824 visitas técnicas aos produtores associados, sempre pelo mesmo consultor.

Os rebanhos participantes deste projeto apresentam uma forte predominância da raça holandesa. Confira abaixo os resultados:


Atente-se ao fato de que todos esses preços estão deflacionados, o que torna os dados confiáveis, apesar das grandes flutuações que ocorreram nos preços durante o período.

A tabela mostra que a porcentagem da renda gasta com alimentação ficou um pouco acima de 38%.

Observe agora a figura abaixo:



Percebe-se que os custos com alimentação, expressos em reais por tonelada de matéria seca, subiram a partir de 2008.

Quando se expressa os custos com alimentação não mais em reais por tonelada de matéria seca, mas sim, em reais/vaca/dia, a mesma tendência é observada (veja na figura abaixo). Costumava-se alimentar vacas leiteiras com preços inferiores a R$ 10/vaca/dia no início do período, mas em meados de 2008 esse custo subiu e se manteve alto até hoje.



Assim, a percepção de que muitos produtores têm hoje, em todo o Brasil, de que é muito mais caro alimentar uma vaca do que era há 8 ou 10 anos atrás é verdadeira! Hoje, o custo com alimentação é um item cada vez mais importante na planilha leiteira.

RMCA

Por esse motivo, o parâmetro de Renda Menos Custo Alimentar (ou RMCA) é muito popular não somente no Brasil, mas também entre nutricionistas, técnicos e consultores do mundo inteiro. Este dado tem a vantagem de proporcionar uma meta para rebanhos leiteiros ou lotes de vacas, sendo o preferido para avaliar a receita total destes rebanhos, particularmente em períodos de volatilidade nos preços do leite e dos alimentos. Ou seja, o RMCA reflete LUCRATIVIDADE, PREÇOS ATUAIS DOS ALIMENTOS E PREÇO ATUAL DO LEITE.

O RMCA nada mais é do que o resultado da receita diária obtida da venda do leite, por vaca em lactação, menos os gastos de alimentação do rebanho, também expressos por vaca em lactação. Supondo por exemplo um rebanho com média de 23 kg/vaca/dia e preço de leite de R$ 1,05/litro, a receita por vaca/dia é R$ 24,15. Se subtraírmos os custos médios de alimentação das vacas, teremos a RMCA relativa à alimentação das vacas. Vamos supor que o custo de alimentação esteja na casa de R$ 9,15/vaca/dia. O resultado é R$ 15,00 por vaca por dia.

Mas qual seria um valor de meta atual para essa Renda Menos Custo Alimentar?

A meta atual é de valores superiores a R$ 12,00 por vaca por dia. Isso porque, pesquisadores acreditam que, embora o valor varie muito entre fazendas e regiões, que o custo alimentar de outras categorias animais, as outras despesas variaveis do rebanho, todos os custos fixos e as depreciações de equipamentos e instalações geram hoje em uma fazenda leiteira brasileira algo em torno de R$ 12,00 por vaca por dia.

Dessa forma, com um RMCA de R$ 15,00/vaca/dia, ao subtrair esses custos acima, a fazenda teria um lucro de R$ 3,00/vaca/dia.

Se você quiser entender melhor sobre os índices zootécnicos e econômicos na produção leiteira, acesse o conteúdo completo do curso on-line Índices zootécnicos: econômicos, criação de animais jovens e produção a pasto do EducaPoint. Este treinamento é ministrado por um grande especialista no assunto, o médico veterinário e professor da Universidade Federal do Paraná, Rodrigo de Almeida.

Você pode fazer a aquisição do curso individualmente ou optar pela assinatura e ter acesso a todos os cursos da plataforma, que hoje já conta com 150 cursos! Clique aqui para saber mais informações sobre os planos de assinatura!

Mais informações:

contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082

Fontes:

https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao/custos-de-alimentacao-x-preco-do-leite-onde-vamos-parar-47105n.aspx

https://www.milkpoint.com.br/artigos/producao/receita-custo-de-alimentacao-uma-medida-simples-e-eficaz-da-saude-financeira-da-fazenda-8635n.aspx

Curso on-line Índices zootécnicos: econômicos, criação de animais jovens e produção a pasto, do EducaPoint.

Ficou com dúvidas, gostaria de sugerir de sugerir um tema ou saber mais sobre o educapoint? envie uma mensagem para nós:

ASSINE TODOS OS CURSOS OU COMPRE UM CURSO DE SUA PREFERÊNCIA
Rede Agripoint

Copyright © 2019 AgriPoint - Todos os direitos reservados

AgriPoint Serviços de Informação para o Agronegócio
CNPJ 08.885.666/0001-86

Rua Tiradentes, 848 - 12º Andar - Centro - Piracicaba - SP

design salvego.com - desenvolvimento d-nex

Uma empresa associada da abed
ENCONTRE-NOS: