Salmonella e estresse em bezerros: qual a relação?

Postado em: 25/11/2021 - 4 min de leitura

Surtos de Salmonella em bezerros leiteiros são uma das questões mais difíceis e frustrantes de lidar. Na maioria dos casos, a taxa de mortalidade é alta e a perda econômica é significativa. Os bezerros que têm a sorte de se recuperar geralmente ficam gravemente debilitados e são menos produtivos no futuro.
 
Independentemente de como as áreas de maternidade e do bezerro sejam bem administradas, a Salmonella está sempre presente. O objetivo é reduzir o número tanto quanto possível e maximizar a resposta imunológica do bezerro.
 
Ao investigar um surto, é necessário identificar a fonte ou fontes. Já foi encontrada Salmonella na ração para bezerros - até mesmo ração no caminhão antes de ser descarregada na fazenda. A Salmonella pode ser cultivada a partir de bebedouros, instalações para bezerros, leite, colostro, utensílios de alimentação, comedouros esofágicos, pistolas de bolus, seringas e agulhas, botas, roupas e material de cama.
 
Também pode haver algumas vacas que são portadoras crônicas assintomáticas e que liberam um número significativo de Salmonella em suas fezes. Isso é especialmente importante quando esses animais estão na área da maternidade, contaminando o meio ambiente para cada bezerro nascido nessa área.
 
Um estudo de 2016 por D.L. Hanson sobre a transmissão vertical de Salmonella em gado leiteiro fornecem evidências substanciais para a transmissão de Salmonella no útero. Os bezerros neste estudo foram abatidos humanamente imediatamente após o nascimento e as amostras foram coletadas para cultura de Salmonella. Esses bezerros eram de um rebanho comercial sem qualquer sinal de Salmonella e as mães eram saudáveis. De todas as amostras retiradas de bezerros, 12,7% foram positivas e 30% das amostras retiradas do ceco foram positivas. Amostras retiradas do baço e do fígado mostraram uma taxa de infecção de 15%. Houve pelo menos uma amostra positiva de 50% dos bezerros amostrados. Quase 95% das amostras fecais das mães foram positivas. Essas amostras foram coletadas de um rebanho leiteiro no Texas durante agosto e setembro, um período de estresse térmico significativo. Embora as vacas fossem assintomáticas, seus sistemas imunológicos estavam um tanto comprometidos pelos efeitos do estresse térmico.
 
Como evidenciado por este estudo, não é possível eliminar a possibilidade de o bezerro se infectar com Salmonella por meio de um bom manejo e higiene durante e após o processo de parto, uma vez que eles já podem ter se infectado no útero. É também um achado significativo que as vacas eram saudáveis, embora uma alta porcentagem delas estivesse liberando Salmonella ativamente no parto.

=> Gosta do conteúdo? Então acesse o conteúdo completo do curso Aspectos práticos da criação de bezerras leiteiras. O curso pode ser adquirido individualmente ou você pode optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 240!) por um preço único. Clique aqui para assinar.
 
Cada surto de Salmonella que estudei foi associado a algum tipo de estresse ambiental e/ou nutricional que estava comprometendo o sistema imunológico do bezerro. É muito fácil determinar os fatores de estresse ambiental, mas uma investigação completa é necessária para determinar o impacto negativo da má nutrição. Devido à sua natureza onipresente, a Salmonella parece ser um organismo oportunista que pode coexistir no animal sem causar doenças, até que o sistema imunológico seja comprometido. A quantidade de exposição e a patogenicidade do sorogrupo obviamente também desempenham um papel importante.
 
Se você combinar um programa de nutrição pobre com quantidades excessivas de estresse ambiental, a probabilidade de um surto de Salmonella aumenta significativamente. Se a quantidade de exposição for alta ao mesmo tempo por causa de uma má gestão e higiene, a probabilidade aumenta ainda mais. A possibilidade de um surto de Salmonella existe em todas as fazendas, mesmo naquelas que acreditamos terem um manejo excelente. Os veterinários são treinados para examinar as possíveis fontes de exposição, quantidade de exposição e fatores de manejo que podem ter um efeito positivo em sua redução. As vacinas também costumam entrar em cena durante um surto de Salmonella. No entanto, essas vacinas costumam ser bastante estressantes para o bezerro e, na maioria dos casos, o sistema imunológico do bezerro já está comprometido. Os dois fatores mais importantes para garantir o funcionamento ideal do sistema imunológico são reduzir o estresse ambiental e fornecer um alto nível de nutrição.
 
Infelizmente, não é uma prática comum na maioria das fazendas leiteiras obter pesos individuais em bezerros e calcular o ganho médio diário. Um bom programa de nutrição deve render um ganho médio diário de pelo menos 1,5 kg a 2 kg em bezerros da raça Holandesa. Os bezerros que ganham menos do que isso provavelmente terão um sistema imunológico que não está funcionando tão bem quanto possível e serão mais suscetíveis a doenças clínicas causadas por Salmonella.
 
A medicina veterinária mudou significativamente ao longo dos anos para se concentrar mais na prevenção do que no tratamento. Há um grande esforço agora para reduzir o uso de antibióticos em animais produtores de alimentos. Isso pode ser feito por meio da implementação de um programa de produção de medicamentos focado mais na prevenção de doenças. Peça ajuda ao seu veterinário.
 
Baseado no artigo Salmonella and Stress, de Bob Corbett.
 
Mais informações: 
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

Neste curso, a professora Carla Bittar, da ESALQ-USP, ensina os principais aspectos práticos relacionados à nutrição e manejo de bezerras leiteiras.

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Invista no futuro do seu negócio com o EducaPoint