Trate a vaca certa na hora certa

Postado em: 14/10/2020
Determinar se uma vaca deve receber tratamento com antibióticos nem sempre é fácil. É importante considerar muitos fatores, muitas vezes usando uma abordagem de árvore de decisão.
 
Primeiro, considere se ela é um membro produtivo do rebanho. Em seguida, estime a chance de a vaca se recuperar da mastite se ela receber tratamento. Os seguintes fatores podem orientá-lo para a decisão de não tratar uma vaca em particular:
 
- Vacas mais velhas;
- Baixa produção de leite;
- Baixo desempenho reprodutivo;
- Doença concomitante, como claudicação crônica;
- Evidência de mastite crônica ou recorrente;
- Diagnóstico atual ou anterior de patógenos de mastite com pouca probabilidade de cura, como Staphylococcus aureus, Prototheca, levedura, etc.;
- Três ou mais casos anteriores de mastite clínica na lactação atual (se estiver no início da lactação, verifique o histórico de lactação anterior);
- Mais de quatro meses de alta contagem de células somáticas (> 200.000 células / mL).
 
Se o tratamento fizer sentido, a melhor prática é basear sua escolha de tratamento no patógeno causador da mastite. Alguns patógenos podem não exigir tratamento porque o sistema imunológico da vaca pode eliminar a infecção de maneira eficaz. No entanto, outros patógenos precisam de tratamento, e é importante escolher um tratamento que seja mais eficaz para o patógeno, com base no espectro de atividade esperado para a classe de antibióticos.
 
A maioria dos antibióticos intramamários são da classe beta-lactâmicos e são eficazes contra patógenos gram-positivos, embora haja alguns princípios ativos que também têm certa  eficácia contra gram-negativos.
 
Determinar por quanto tempo tratar a infecção pode ser uma decisão complicada para os produtores. A escolha mais econômica e eficaz para a maioria dos casos é administrar dois a três tratamentos, especialmente sem um diagnóstico de patógeno. No entanto, uma situação que pode recomendar uma terapia de longa duração é um novo caso de mastite por Staphylococcus aureus em uma vaca em primeira lactação. Isso porque essa infecção é difícil de curar e um caso em um animal de primeira lactação que não cura é muito caro para o produtor. A melhor chance de conseguir a cura é com um tratamento de maior duração, como oito dias.
 
=> Aprenda muito mais no curso Como controlar a mastite em 3 passos. Você pode adquirir o curso individualmente ou optar por assinar a plataforma EducaPoint, tendo acesso a todos os cursos disponíveis (mais de 200!) por um preço único. Clique aqui para saber como assinar.
 
Agora, para a parte complicada do tratamento. Alguns patógenos que causam mastite estão na categoria de “moderadamente difícil de curar” e podem se beneficiar de uma terapia de longa duração.
 
Longa duração, mais de dois a três tratamentos, não é uma abordagem geral, mas deve ser considerada em uma base específica da fazenda e do patógeno. Se uma fazenda não está vendo taxas de cura aceitáveis para esses patógenos difíceis de curar, converse com seu veterinário sobre a tentativa de um tratamento de maior duração (cinco dias) ou, se possível, obtenha um diagnóstico rápido de patógenos para cada caso.
 
Existem estudos que demonstram melhores taxas de cura com terapia de longa duração para alguns patógenos. No entanto, você deve equilibrar o custo adicional de antibióticos, trabalho de parto e leite descartado com o aumento nas taxas de cura.
 
* Baseado no artigo Treat the Right Cow at the Right Time, do Farm Journal Content Services.
 
Mais informações:
contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082
 

Você sabia que pode com um único valor mensal ter acesso ilimitado a esses e centenas de cursos online?

O EducaPoint é uma plataforma preparada para trazer a melhor estrutura em cursos online para ajudar você no seu agronegócio.

Invista no futuro do seu negócio com o EducaPoint