Fechar Precisa de ajuda?
Fechar
ATENDIMENTO ONLINE

PRECISA DE AJUDA?
TEM ALGUMA DÚVIDA?

Fale agora com um de nossos atendentes.
Das 8h às 12h e das 13h às 17h.

ENTRAR NO CHAT

BLOG

Postado em: 14/03/2019

Por que a incidência de doenças é alta em vacas leiteiras?

Durante o período de transição, vacas leiteiras passam por uma fase de balanço energético negativo. Para sobreviver a este período, em que faltam energia e nutrientes, os mecanismos homeorreticos garantem que a lactação seja favorecida; ao mesmo tempo, a homeostase garante a sobrevivência do animal. Porém, com a alta demanda energética, é comum a ocorrência de doenças metabólicas que comprometem o sistema produtivo, reprodutivo e a sanidade do animal.

A falta de diagnóstico de doenças é um problema crônico em muitas fazendas. Isso ocorre, muitas vezes, por desconhecimento sobre como fazer o diagnóstico ou por falta de treinamento adequado de funcionários responsáveis pela saúde do rebanho.

No entanto, fazer o diagnóstico de doenças de forma correta e rotineira é um aspecto crítico em qualquer fazenda leiteira.

Uma outra prática comum em fazendas, mas que também prejudica muito no controle de doenças é não anotar os casos, ou seja, embora o diagnóstico seja feito, não há um método de captação de dados que permita compilar e acessar rapidamente as informações. Lembrando que informações de difícil acesso dificulta a tomada de decisão.

Por que a incidência de doenças é alta em vacas leiteiras?

Há uma série de razões para isso, incluindo componentes genéticos, ambientais e de elemento humano por falta de entendimento de como manejar os animais corretamente. Porém, existem algumas razões mais desafiadoras para isso. Uma delas é a seleção para produção de leite. Isso porque a prioridade desses animais selecionados é produzir leite, com seu corpo direcionando grande parte de sua energia para isso.

Para entender melhor, pode-se fazer uma comparação. Um ser humano médio possui uma exigência calórica de cerca de 2000-2500 quilocalorias por dia. No entanto, indivíduos que praticam atividades físicas intensas, ou seja, atletas de alta performance, têm exigências calóricas muito maiores, de 6000-8000 quilocalorias, ou seja de 2,5 a 3,5 vezes a exigência de um ser humano típico.

Da mesma forma, a vaca Holandesa média, que produz 11 mil quilos de leite, mas que chega ao pico de produção de 45 quilos de leite por dia tem uma necessidade de mantença de cerca de 15.000 quilocalorias de energia metabolizável. Já a energia calórica para a síntese de leite é de 55.000 quilocalorias. Assim, a necessidade diária total dessa vaca é de 70.000 quilocalorias de energia metabolizável por dia. Essa exigência representa quase 5 vezes mais do que uma vaca que não está produzindo leite precisaria.

Ou seja, a vaca média, que produz 11 mil quilos de leite (o que equivale a apenas um terço do potencial da raça Holandesa) tem em seu pico de produção uma necessidade nutricional que é muito superior a um superatleta humano. E é por isso que os problemas acabam ocorrendo.

Vacas que estão acima da média na produção, como uma vaca que alcançou o recorde de 104 quilos de produção de leite ao dia no pico de produção, precisa de 113.000 quilocalorias somente para a síntese de leite, somando no total uma demanda de 128.000 quilocalorias por dia, ou seja, 8,5 vezes a necessidade de mantença para suprir as suas exigências nutricionais.

Assim, fica claro que não é difícil ocorrerem erros no manejo dessas vacas de alta produção, que acabam levando a perdas. As perdas que são mais sensíveis a esses erros são aquelas que não são essenciais para a vida da vaca, como por exemplo, a reprodução, que tem uma escala prioritária menor e é a primeira a ser comprometida (leia mais sobre isso: Por que o estresse calórico afeta a reprodução de bovinos leiteiros?).

Como anda a saúde de suas vacas, especialmente as de alta produção? Sua fazenda tem um método eficiente de diagnóstico de doenças?

Se você quiser saber muito mais informações sobre como vacas no período de transição podem ser afetadas em termos de produção, saúde e reprodução, confira o conteúdo completo do curso on-line  Importância do período de transição para a saúde, produção e reprodução de vacas leiteiras, do EducaPoint, de onde o conteúdo desse texto foi retirado.

O curso, ministrado por Dr. José Eduardo Portela Santos, professor da Universidade da Flórida (EUA), além de abordar as principais doenças metabólicas do período,  também ensina medidas de manejo para reduzir sua incidência e garantir um período de transição isento de problemas.

Para ter acesso ao curso, é necessário assinar a plataforma EducaPoint. Lembrando que a assinatura garante o acesso não somente a esse curso, mas a TODOS OS CURSOS já oferecidos até agora (mais de 135 temas) e aos novos que são lançados semanalmente. Não perca essa chance!

Quer saber mais sobre o período de transição e passar por essa fase de maneira mais tranquila? Baixe gratuitamente o novo ebook do EducaPoint! Clique na imagem abaixo e saiba como maximizar sues resultados no período mais  crítico da vaca leiteira.



Mais informações:

contato@educapoint.com.br
Telefone: (19) 3432-2199
WhatsApp (19) 99817- 4082 

Ficou com dúvidas, gostaria de sugerir de sugerir um tema ou saber mais sobre o EducaPoint? Envie uma mensagem para nós:

Enviar

Você está procurando soluções para público corporativo?

Cursos fechados ou vagas para grandes turmas

VEJA NOSSAS SOLUÇÕES
Rede Agripoint

Copyright © 2019 AgriPoint - Todos os direitos reservados

AgriPoint Serviços de Informação para o Agronegócio
CNPJ 08.885.666/0001-86

Rua Tiradentes, 848 - 12º Andar - Centro - Piracicaba - SP

design salvego.com - desenvolvimento d-nex

Uma empresa associada da abed
ENCONTRE-NOS: